Descubra porque em Natal existe uma ponte que não é monumento e não leva à lugar nenhum

Se você já foi no bairro da Ribeira, ali próximo à antiga rodoviária e da estação de trem, provavelmente já viu esta ponte:

post-ponte-nao-leva-lugar-nenhum-ribeira-augusto-severo

Acontece que em meados do século XX Natal era uma cidade que tinha menos de 12 mil habitantes, quase não possuía áreas urbanizadas, e esta era uma delas. Então o Rio Potenji criava lá um pântano tão grande que impedia das pessoas se deslocarem. Era difícil até para o comércio e para o desenvolvimento da cidade.

Foi então que Figueiredo Junior, ‘presidente da província’ na época, numa tentativa de amenizar a situação, decidiu fazer a primeira intervenção concreta no espaço, construindo um muro às margens do rio, e um aterro para preservá-lo da força das água. Isso permitiu uma melhor comunicação entre a Cidade Alta e a Ribeira.

post-ponte-nao-leva-lugar-nenhum-ribeira-augusto-severo-foto-antiga-2

Somente em 1904 o Governador Augusto Tavares de Lyra concretizou estas reformas, e o novo nome do logradouro, antes denominado Praça da República (1901), passou a se chamar Praça Augusto Severo.

A nova Praça Augusto Severo tinha recebido durante a grande seca do início do século XX, mais de 15 mil retirantes, o que fez a população da cidade dobrar. Os “barracões” montados na praça haviam deixado lembranças aterradoras: saques, epidemias, mortes, violências, deportações, desespero e fome.

Então, os retirantes foram contratados para ajudar na urbanização do espaço. Os natalenses fizeram doações de plantas como palmeiras imperiais, fícus benjamim e oitizeiros para ornarem os jardins. Assim as obras recomeçaram, e lá foram construídas galerias de escoamento, calçamento das ruas ao redor e até uma fonte.

post-ponte-nao-leva-lugar-nenhum-ribeira-augusto-severo-foto-antiga

Esta ponte portanto é o único elemento sobrevivente desta praça épica que já foi jardim botânico e que depois de um tempo foi reduzida para a construção do terminal rodoviário da Ribeira.

Gostou desta história? Aposto que você vai gostar também destas:

6 monumentos do RN que você talvez desconheça

Conheça as 8 coisas mais altas de Natal

10 curiosidades ultra interessantes sobre o dia-a-dia de Natal-RN durante a 2ª Guerra Mundial

Fonte: Brechando

Anúncios