5 curiosidades sobre o dia em que o Zeppelin sobrevoou Natal

Bom, pra quem não sabe um balão dirigível é uma aeronave mais leve do que o ar, que pode ser controlada por um condutor. Eles se sustentam no ar através de uma grande cavidade que é preenchida com um gás menos denso do que o da atmosfera, como o gás hélio ou hidrogênio, dessa forma o balão sobe lentamente.

O Graf Zeppelin foi o nome dado à um balão dirigível, o maior de sua época, fabricado na Alemanha, que em seu voo inaugural fez uma rota de lá até a América do Sul, chegando primeiro a Recife.

1. O Graf Zeppelin em números. Ele era imenso nos céus, tinha 236,53 metros de comprimento e 30,48 metros de diâmetro. Seu volume era de 105.000 m³, tudo isso aguentava uma carga útil de 60.000 kg.

2. A primeira passada do Zeppelin por Natal foi em 1930. Após pousar em Recife, Rio de Janeiro, novamente Recife, seguia para os Estados Unidos e sobrevoaria a cidade de Natal.

3. Durante o voo pela cidade de Natal a empresa que o construiu homenageou um potiguar. A Empresa Luftschiffban Zeppelin G.M.B.H, construtora do Zeppelin, considerando a importância histórica do primeiro aeronauta potiguar Augusto Severo para o desenvolvimento dos balões dirigíveis, resolveu, por sua própria e inédita iniciativa homenageá-lo.

A primeira homenagem ocorreu a 28 de maio daquele de 1930. O balão percorreu um círculo enorme e permaneceu doze minutos em evoluções. Então baixou-se sobre a estátua de Augusto Severo e deixou cair um ramalhete de flores naturais, com a seguinte frase: “Homenagem da Alemanha ao Brasil, na pessoa de seu filho Augusto Severo”.

O troféu caiu próximo à estátua, sendo levado à mesma.

4. Mas ele voltou 3 anos depois. Quando novamente sobrevoou Natal, em 20 de outubro de 1933, o Zeppelin realizou nova homenagem de acordo com o historiador Paulo Pinheiro de Viveiros:

“ele voava à noite, numa altura aproximada de 200 metros; eram 23 horas e 30 minutos quando alcançou a cidade, deixando cair de bordo, pendente de um pára-quedas luminoso, uma coroa sobre o monumento de Augusto Severo. O vento desviou o troféu que caiu no pátio interno da Great Western. Toda a população natalense estava desperta e acompanhou, nas ruas, as evoluções do Graf.

A coroa tinha um laço de seda com as cores da Alemanha e do Brasil e a seguinte frase: “A Augusto Severo, o grande brasileiro que idealizou a aviação como fator de progresso – arma de aproximação entre os povos – homenagem do Graf Zeppelin ” – disse ele.

5. E este cartão postal é o único registro fotográfico conhecido deste dia épico:

post-curiosidade-graf-zeppelin-balao-dirigivel-sobrevoou-natal-cartao-postal

Créditos: Natal de Ontem

Bônus: se você quiser ver um vídeo histórico desse monstro dos ares aqui está!

Que dia deve ter sido este, hein? E pensar que nos dias atuais dá pra voar de parapente da Praia do Meio até Ponta Negra filmando tudo ou até tirar fotos aéreas incríveis de Natal com a maior facilidade.

Fonte Geraldo de Andrade Ribeiro Jr. Foto: Acervo do Mons. Jamil Nassif Abud. 

Anúncios