Você já brincou com um soldadinho de castanha de caju? E uma boneca de sabugo de milho, já? Ou quem sabe um jogo de sinuca de bilocas (bola de gude para uns)?

Pois saiba que mais de 300 desses brinquedos estão em um incrível museu de brinquedos [e acessórios e jogos] feitos à mão de Natal chamado “Museu do Brinquedo Popular”, bem no centro da cidade. Tudo produto da criatividade impressionante dos moradores de 48 municípios espalhados nas zonas rurais e urbanas do Rio Grande do Norte.

Em reportagem de 2010 da Tribuna do Norte, o diretor do campus e coordenador do Núcleo de Estudos Culturais da Ludicidade infantil – NECLI, do qual faz parte o museu, Lerson Fernando, disse que o museu é o único com esta temática no Brasil, e que, apesar de existirem outros museus de brinquedos no país, nenhum dele possui artigos populares como este.

Lerson disse ainda que deseja um museu interativo, ou seja, garantir um espaço apropriado para que sejam manipulados. “O museu mantém viva uma cultura, que foi engolida pelas novas tecnologias”, completou. Dos 315 brinquedos da exposição, apenas 10% foram confeccionados a pedido dos idealizadores do projeto, os outros 90% foram doados pelos moradores dos municípios visitados.

Veja agora a lista que preparamos com os melhores brinquedos do Museu:

Carrinho de madeira

post-brinquedos-rn-carrinho-madeira
Foto: Joanisa Prates

_

Carrinhos de lata

post-brinquedos-rn-carrinhos-caminhoes-lata
Foto: Joanisa Prates

_

Futebol de prego

post-brinquedos-rn-futebol-de-prego
Foto: Joanisa Prates

_

Bonecos de sabugo de milho

post-brinquedos-rn-boneco-boneca-sabugo-milho
Foto: Joanisa Prates

_

Sinuca de biloca (bola de gude)

post-brinquedos-rn-mesa-sinuca-biloca
Foto: Joanisa Prates

_

Peteca de couro de bode

post-brinquedos-rn-peteca-couro-bode
Foto: Joanisa Prates

_

Tábua de morro

post-brinquedos-rn-tabua-de-morro
Foto: Joanisa Prates

_

Curral de ossos

post-brinquedos-rn-curral-ossos
Foto: Joanisa Prates

E este último aí, o “curral de ossos”, é uma brincadeira onde crianças de várias idades reproduzem um curral, utilizando gravetos para construir as cercas e utilizam capim e pedra para a decoração do espaço. Além de os animais serem representados com ossos de gado, também pode ser usado em seu lugar o mangará – fruto da bananeira.

A elaboração do livro “Brinquedos e brincadeiras populares: identidade e memória” foi o que incentivou a criação do museu. A partir da pesquisa realizada por Marcus Vinícius, Tânia Costa, Vivianne Limeira, Caroline Cristina, Priscília Janaina e Lerson Fernandes; os municípios foram visitados e os brinquedos e depoimentos foram coletados e sistematizados em forma de pesquisa.

O “Museu do Brinquedo Popular” fica no Campus Avançado do IFRN na avenida Rio Branco, 743, Cidade Alta, Natal-RN.

Incrível! Parecem muito mais divertidos que estes brinquedos aqui.

(Fonte: Tribuna do Norte, IFRN e Flickr da IFRN – Cidade Alta)

 

Anúncios

Escrito por Henrique Araujo

O criador do Curiozzzo é Bacharel em Sistemas de Informação, viciado em internet desde muito cedo, e encontrou na criação de conteúdo uma nova paixão. Criou o blog em 2014 para levar o Rio Grande do Norte (onde vive desde criança) para o mundo de uma forma criativa e diferenciada. Siga-o: instagram.com/henrique.e.araujo

17 comentários

  1. Fiquei maravilhado com esta página (e com todo o site) tratando da temática do nosso povo. Descobri esta página graças a uma pesquisa que minha professora nos solicitou com temática sobre brinquedos do nosso estado. Gostaria de deixar registrado aqui também que o livro citado “Brinquedos e brincadeiras populares: identidade e memória” também pode ser encontrado em PDF para download gratuito.

  2. P mim foi uma novidade pois moro aqui em Natal e ñ sabia da existência desse museu, parabéns pela matéria e site, tb ñ conhecia, vi uma publicação no face sobre Natal antigo e estou a mais de uma hora lendo as publicações q de fato merece os parabéns!

  3. Muito bom. Temos muitas histórias/estórias para serem divulgadas. Sugiro divulgação de um trabalho do Escritor Potiguar, Elísio Augusto :”Um Fusca na Cidade do Sol”.

  4. Faltou o carro de “cócão”. Muito usados por crianças e adultos dos anos 50 que consistia em um lastro de madeira com 4 rodas, também de madeira, cujas rodas dianteiras eram afastadas da “carroceria” por uma espécie de pescoço que lhe favorecia a dirigibilidade, pois você podia fazer manobras para direita ou esquerda com carro em movimento.

Diga o que achou:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s