8 curiosidades sobre a chegada do surf à Natal (RN)

Em Maio de 1975 o jornalista Ricardo Holanda publicou aparentemente a primeira reportagem sobre o surf potiguar – que foi reproduzida no blog tok de história – e dela separamos as melhores curiosidades pra você.

1. Pra começar os Natalenses iniciaram a prática do surf usando umas pranchinhas de isopor

post-historia-surf-natal-noticia-jornal

Manchete de jornal da época (Foto: Rostand Medeiros)

O pessoal dominava as ondas deitados em uma espécie de mini prancha, no estilo clássico body board.

2. Foi quando em Janeiro de 1974 um surfista desconhecido surfou na cidade em pé com uma clássica longboard

post-historia-surf-natal-antiga-thomas-rittscher-pioneiro-prancha

Thomas Ernest Rittscher Júnior, o pioneiro do surfe brasileiro (Fonte: http://www.avisoesporte.com.br)

Que como o nome mesmo diz, é a famosa prancha longa de surf, que na década de 60 fez sucesso entre os surfistas californianos.

Aí já viu né? A rapaziada ficou louca em ver aquele “desconhecido” deslizando nas ondas em pé e esse cara, provavelmente não soube disso, mas ele iniciou a prática do surf clássico na cidade.

3. Naquela época cerca de míseros 30 a 35 surfistas encaravam ondas nas praias natalenses

post-historia-surf-natal-surfistas-surfando-praia-mar-onda

Isso era nas praias Artistas, Areia Preta, Ponta Negra e Baía Formosa, esta que naquele tempo era extremamente preservada pela natureza.

4. O repórter apontou claramente que estes surfistas eram filhos de famílias ricas da cidade

post-historia-surf-natal-homem-fusca

Rico de Souza na década de 1970. Surfista carioca referência na confecção de pranchas (Fonte: Globo.com)

Até porque nessa época o preço médio das pranchas de surf variavam de 1.500 a 3.000 cruzeiros. Pra você ter uma ideia, com 2.800 cruzeiros em 1975 o Governo do Rio Grande do Norte pagava o salário mensal de um dentista.

Já 3.000 cruzeiros dava para dar uma gorda entrada no financiamento de um Fusca na famosa Marpas Veículos, ou pagar o valor do aluguel mensal de uma luxuosa casa de quatro quartos no bairro de Petrópolis, até hoje um dos mais valorizados de Natal.

5. Os primeiros surfistas potiguares já possuíam dentro de suas mentes o principal aspecto da filosofia do surf: a integração com a natureza

post-historia-surf-natal-antiga-manchete-jornal-beira-praia

Público presente na Praia dos Artistas para prestigiar o I Campeonato de Surf do Rio Grande do Norte de 1975 (Foto: TOK de História)

Eles também já se organizavam para fundar um clube que unisse os praticantes do esporte em Natal. Sonhavam até mesmo com o apoio do Governo do Estado para a construção de um píer na Ponta do Morcego e holofotes para a prática noturna do esporte na Praia dos Artistas.

Mas a reportagem aponta que eles tinham em mente algo mais palpável para ser trabalhado em curto prazo – A realização de um campeonato de surf em Natal.

6. Eis que o Primeiro Campeonato de Surf do Rio Grande do Norte aconteceu em 1975 na praia dos artistas

post-historia-surf-natal-manchete-jornal-anuncio-campeonato

Manchete da época (Foto: Rostand Medeiros)

As inscrições tinham o valor de 50 cruzeiros por surfista, e não houve premiação em dinheiro, apenas em materiais, sendo que o primeiro colocado levaria uma prancha de surf novinha em folha da marca “Gledson”.

Segundo os jornais da época se inscreveram um total de 53 surfistas, vindos de “todos os estados do Nordeste”, mas cinco destes não participaram, então ficaram 48 surfistas dando tudo de si pelo prêmio. Imagina como foi frenético!

7. O campeão foi um jovem chamado Ronaldo Barreto, de Natal, com apenas 17 anos de idade!

post-historia-surf-natal-antiga-surfista-ronaldo-barreto

Ronaldo Barreto, campeão do I Campeonato de Surf do Rio Grande do Norte, recebendo sua premiação de Valério Mesquita, presidente da “EMPROTURN” – 1975 (Foto: TOK de História)

Em segundo ficou Alfredo (de Fortaleza, Ceará), em terceiro Luruca (Natal), em quarto o classificado foi Capibaribe (Fortaleza), em quinto Amim (de Recife, Pernambuco) e em sexto Marquinho (do Rio de Janeiro, mas que morava em Natal).

8. Aquele primeiro campeonato de surf já tem quase 42 anos, e foi considerado um marco para o desenvolvimento do esporte na região

post-historia-surf-natal-manchete-jornal-novidade

Segundo os jornais, já durante o evento os surfistas locais debatiam a criação de uma Federação de Surf no estado. Hoje o surf é um dos esportes mais atuantes nas praias potiguares, com uma extensa história de sucesso e nomes que alcançam o circuito mundial.

Bônus

post-historia-surf-natal-surfistas-natalenses

Os potiguares Jadson André e Ítalo Ferreira vão disputar a elite do Circuito Mundial de Surf em 2017 (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

O RN tem representantes na elite do surf desde 1995 (como estes aí da foto), quando Aldemir Calunga começou a dropar ondas pelo mundo todo. Depois, vieram Danilo Costa, Marcelo Nunes e Joca Júnior, que mantiveram a presença potiguar na elite.

Se gostou você não pode deixe de ver isso: 7 esportes que você não fazia ideia que eram praticados em Natal

Fonte: TOK de História

 

Anúncios