Afinal o autor de “O Pequeno Príncipe” veio mesmo à Natal?

Na história do Rio Grande do Norte diversas pessoas já relataram a passagem do grande escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry por Natal, ocorrida no fim da década de 20.

Entre alguns relatos, o autor da super obra “O Pequeno Príncipe” teria se inspirado neste baobá que fica no bairro de Lagoa Seca em Natal ao criar alguns desenhos de seu livro.

Entre os anos de 1985 e 1995 escritores potiguares como Pery Lamartine e Nilo Pereira, escreveram artigos com relatos de testemunhas oculares da presença do francês na cidade. De acordo com Lamartine, o que dificulta a pesquisa é o fato de que nos anos 1920 os pilotos franceses e brasileiros não registravam seus voos.

Existe uma passagem no livro que diz: “vamos nos livrar das ervas daninhas antes de se tornarem baobás que poderiam explodir o planeta”. O escritor estaria se referindo ao baobá de Natal, que teria sido visitado por ele nas décadas de 20 e 30, quando teria sido inclusive hóspede da proprietária do terreno.

O poeta e professor Diógenes da Cunha Lima, que comprou o terreno da árvore afim de preservá-la, conta também que há no livro desenhos como elefante, estrela, vulcão, dunas e falésias, elementos que lembram o mapa e outros símbolos do Rio Grande do Norte.

O poeta e professor Diógenes da Cunha Lima e o sobrinho-neto de Saint-Exúpery. Foto: Canindé Soares

Já em 2009 a imensa árvore recebeu a visita do sobrinho-neto de Saint-Exupéry, o engenheio François D’Agray. Ele esteve em Natal à convite da Prefeitura Municipal para o lançamento dos livros “O Pequeno Príncipe Me Disse” e “Antoine de Saint-Exupéry – A História de uma História”, da escritora paulista Sheila Dryzun.

Alguns atribuem também a relação do francês com o RN pela presença de outro grande baobá plantado desde 1877 na cidade de Nísia Floresta, próximo a Natal.

Mas afinal, Saint-Exúpery, autor de uma das obras literárias mais traduzidas do mundo, passou mesmo por Natal?

Quem conta é o francês Patrick de Bure, entusiasta da História da aviação que em 2010 foi morar em Natal.

Primeiro ele relembra que Saint-Exupéry, deixou a cidade Bordéus, na França, e após dezoito dias de cruzando o Atlântico no navio de carga S. S. Massilia chegou à Buenos Aires, na Argentina. Ele, que também era aviador, foi visitar o escritório da companhia de aviação Aéropostale, e permaneceu no país por “apenas” 15 meses. Esta foi a única vez que o escritor veio à América Latina na sua vida.

Assim, Saint-Exupéry nunca esteve em Natal em missão oficial de avião, e portanto os baobás potiguares não foram a fonte de inspiração do escritor. Segundo Bure, as árvores foram avistadas quando ele estava voando sobre as paisagens do norte da África, local que abriga milhares delas.

Mas o escritor e pesquisador potiguar Rostand Medeiros diz ter uma hipótese. Segundo ele, Antoine de Saint-Exupéry teria feito uma escala em Natal de navio, na mesma viagem em que seguia para Argentina.

Intrigante. E você, o que acha?

Com informações de TOK de História

Anúncios