19 curiosidades interessantes sobre Mossoró (RN)

Já era hora de falar sobre Mossoró, a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, também conhecida como a “capital do oeste potiguar”, “terra do sol”, e “terra do petróleo e sal”. É tanta história e cultura que fica difícil até de começar, mas a gente tenta…

1. Os primeiros habitantes da região foram os índios monxorós

Fotografia do quadro do artista Costa (12)

Que eram, segundo Câmara Cascudo, da etnia dos cariris. Alguns historiadores dizem que eram da família dos potiguares e dos tapuias.

2. Inclusive Cascudo diz que monxoró foi o que derivou o nome da cidade

O topônimo segundo ele provém dos cariris monxorós ou mossorós. Para o historiador Antônio Soares, Mossoró é corruptela de “mô-çoroc”, vocábulo indígena que significa rasgar, romper, abrir fendas.

3. Isso porque o rio que banha a região “rasgou” as terras de lá em diversos pontos

Margens do Rio Mossoró antigamente. Autor da foto desconhecido.

Este mesmo autor diz que: “Aplica-se bem ao rio Mossoró, que rasgou ou rompeu a terra marginal em diversos pontos, formando camboas”. Camboas são estreitos por onde a água penetra na maré alta, e se esvaziam quando as águas retornam na baixa-mar.

4. Alguns dizem até que o nome Mossoró está tecnicamente errado

Alguns autores defendem que, segundo as normas ortográficas vigentes da língua portuguesa, este topônimo deveria ser Moçoró.

5. A cidade fica na “cabeça do elefante”

E faz divisa com o Aracati, Ceará. Ficando até mais perto da capital daquele estado do que da capital do próprio estado.

6. Ele é o maior município do estado em área e segundo mais populoso do estado do RN

São quase 300 mil habitantes – 295.619 pra ser mais exato, segundo dados do IBGE em 2017 –  vivendo numa área de aproximadamente 2100 km², o que faz do município o segundo mais populoso do Rio Grande do Norte, ficando atrás somente da capital Natal. Ah, e é o 93º maior do país.

7. A cidade aboliu seus escravos cinco anos antes da assinatura da Lei Áurea

Imagem: Pádua Campos

Isso foi em 30 de setembro de 1883, e até hoje a data é comemorada a cada ano com muito entusiasmo pelos mossoroenses, que sentem muito muito orgulho em serem os primeiros do estado do RN e o segundo do Brasil neste grande feito.

8. Em homenagem a este acontecimento, Mossoró foi, entre 28 e 30 de setembro de 2011, a capital do Rio Grande do Norte

Foto: Canindé Soares para o G1/RN

Em 2011, no 128º aniversário da abolição da escravidão, o governo estadual foi transferido temporariamente de Natal para Mossoró, instalado no Casarão Lili Duarte, que é atualmente sede da vice-prefeitura.

9. Foi em Mossoró que ocorreu o primeiro voto feminino do Brasil!

E isso foi algo de grande importância histórica no mundo, uma vez que a maioria dos países também proibia o voto feminino. Na época, a constituição brasileira (de 1891) permitia apenas aos ricos o direito ao voto. As mulheres, escravos, analfabetos e pobres não tinham esse direito.

Em 1928 a professora Celina Guimarães Viana foi a primeira mulher a conseguir um título eleitoral e realizou o primeiro voto feminino do país. No Brasil, as mulheres só ganharam o direito ao voto somente seis anos depois, em 1934, durante o governo do presidente Getúlio Vargas.

10. As mulheres mossoroenses também foram às ruas protestar contra a obrigatoriedade do alistamento militar

Desenho de Anna Floriano por Emmanuel

No episódio histórico chamado “motim das mulheres”, cerca de 300 mulheres lideradas por Anna Floriano, foram à sede do jornal O Mossoroense em 30 de agosto de 1875 para protestar contra a obrigatoriedade do alistamento militar.

Revoltadas e armadas com paus e pedras, elas invadiram repartições públicas e rasgaram o livro e os documentos de recrutamento de seus homens para a Guerra do Paraguai.

11. E falando em jornal O Mossoroense ele foi o jornal mais antigo do interior do Brasil

Recorte antigo do jornal O Mossoroense

Fundado em 17 de outubro de 1872.

12. Uma editora da região detém a maior bibliografia sobre as secas do MUNDO

Jerônimo Vingt-un Rosado Maia, um dos pioneiros da cultura mossoroense e fundador da Coleção Mossoroense

Coleção Mossoroense, editora mossoroense sem fins lucrativos, já publicou mais de três mil títulos em 57 anos de existência, e tem a maior bibliografia sobre as secas do mundo, com cerca de 700 títulos.

13. Em 1927 Lampião pediu 400 contos de réis (uns 20 milhões em reais de hoje) ao prefeito em troca de não invadir a cidade

O bando de Lampião após sua derrota em Limoeiro do Norte (CE). Foto: TOK de História

O prefeito da cidade, Rodolpho Fernandes, recebeu a ameaça em um bilhete escrito pelo próprio cangaceiro, e disse que não pagaria a quantia pedida. Então em 13 de Junho, depois de passarem dias atravessando o estado, o bandido e seus comparsas chegaram à cidade, trocando tiros com a população e promovendo uma verdadeira guerra, mas foi combatido por bravos resistentes, liderados pelo prefeito e pelo Padre Motta. Nesse ataque Lampião sofreu sua única derrota desde o seu início da vida como cangaceiro.

14. Este acontecimento se tornou um espetáculo grandioso ao ar livre encenado todos os anos

É o famoso espetáculo “Chuva de Bala no País de Mossoró”, que acontece todos os anos em frente à Capela de São Vicente, local onde houve a batalha real, reunindo dezenas de atores e atrizes e com apresentações abertas ao público. Aprecie um pouco do espetáculo na edição de 2017 no vídeo acima.

15. Por sinal, este espetáculo é realizado dentro do Mossoró Cidade Junina, maior festa junina do Rio Grande do Norte

Foto divulgação (Jornal O Mossoroense)

Evento que ocorre durante todo o mês de Junho desde 1996, e que também é uma das maiores festas juninas do Nordeste brasileiro, chegando a atrair mais de um milhão de turistas.

Por lá tem apresentações de quadrilhas, apresentações musicais, além de barracas com comidas típicas e projetos culturais.

16. E por falar em festa, a cidade tem uma avenida repleta de barzinhos e restaurantes estilosos que dá gosto de ver

Foto: Alex Gurgel

De uns anos pra cá Mossoró sofreu um processo de revitalização de alguns pontos da cidade que dão um ar de requinte e modernidade. É o caso da Avenida Rio Branco, famosa por ser o “Corredor Cultural” mossoroense. Por lá bares e restaurantes abrigados em casinhas que parecem ter surgidas do século 18, estão dispostos coladinhos um no outro e pintados minuciosamente, formando uma praça de convivência que é ponto de encontro de jovens e turistas de passagem pela cidade.

17. Tem ainda castelo de Branca de Neve e o mundo encantado de Walt Disney

Foto: Alex Gurgel

Espaços que fazem parte do complexo Parque da Criança, espaço reservado para a criançada se divertir na cidade.

18. Um dos lugares mais visitados da cidade é o Memorial da Resistência

Foto: Alex Gurgel

Os mossoroenses sentem muito orgulho de terem resistido à invasão do cangaço de Lampião, tanto que a cidade construiu um espaço próprio para contar perpetuar esta história e o chamou de “Memorial da Resistência de Mossoró”. Nele, grandes painéis com fotos e textos fazem o visitante viajar no tempo.

19. Mossoró também é o maior produtor em terra de petróleo no país

Foto: Agência Petrobrás

E também de sal marinho, com uma produção diária de 47 mil barris e mais de 3 500 poços. Só pra você ter uma ideia a cidade responde por 95% do total da produção de sal marinho de todo o país.

Se gostou compartilhe com seus amigos e mantenha viva a história de Mossoró! E veja também 7 super curiosidades sobre o sal do Rio Grande do Norte

 

Anúncios