Você conhece o Hino de Natal (RN)?

Você sabia que o hino de Natal fala das pessoas brincarem de rolar Morro do Careca abaixo, hoje algo proibido?

Ou que ele fala de foguetes?

Mas o hino como ele é hoje não pertenceu a cidade desde sempre não. Durante 77 anos ele era um poema composto por Othoniel Menezes chamado “praieira dos meus amores” e musicado pelo maestro Eduardo Medeiros em 1923.

Então em 30 de setembro de 2001 a Prefeitura oficializou o hino atual, que tem letra e melodia compostas pelo professor Waldson José Bastos Pinheiro. Em sua primeira audição, a obra foi executada pela Orquestra Sinfônica do Município, que a gravou ao vivo em solenidade realizada no Teatro Alberto Maranhão.

Então aqui está o hino e sua letra está logo abaixo:

I

Natal, Cidade Sol,
Tu representas tanto para mim!
No início, Forte dos Reis Magos,
Cidade Alta, Ribeira e Alecrim.

Daí, sempre a crescer –
Um cajueiro, galhos a estender,
Brotou nas Rocas, Quintas e Tirol,
Em Igapó, Redinha e Mirassol;
Chegou à Zona Norte,
Em Mãe Luíza se enraíza no farol.

O mar, enamorado,
Colar de praias te presenteou;
E o Potengi amado
Em teu regaço com o porvir sonhou.

Natal – provinciana –
A tua história nos contou Cascudo:
A luta com o batavo,
As procissões, o pastoril, o entrudo.

II

Natal, Cidade Sol,
Tu representas tanto para mim!
No início, Forte dos Reis Magos,
Cidade Alta, Ribeira e Alecrim.

Daí, sempre a crescer –
Um cajueiro, galhos a estender,
Brotou em Morro Branco e Bom Pastor,
Em Candelária, Felipe Camarão;
Do Morro do Careca
Em Ponta Negra, vem rolando até o chão.

O mar, enamorado,
Colar de praias te presenteou;
E o Potengi amado
Em teu regaço com o porvir sonhou.

Natal – espacial –
Ao céu foguete vai levar mensagem
De amor e de esperança
A quem fiel evoca a tua imagem.

Você gostou? Então veja o hino do Rio Grande do Norte

Dica do leitor: Ely Oliveira

Anúncios