Atualmente o Rio Grande do Norte é autoridade suprema quando o assunto é pesca de atum no Brasil. Isso porque 80% das 50 mil toneladas do peixe pescadas por ano no país, é pescado pelos potiguares. E o atum das águas brasileiras é considerado um dos melhores do mercado internacional.

Barco pesqueiro de atum no porto de natal – Isac Lira. Foto:Aldair Dantas.

Em 1982, surgiu a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, determinando que países que possuem costa marítima têm prioridade na pesca internacional, o que privilegiou o Brasil, e isso deixou os chineses bem zangados. O resultado foi uma verdadeira guerra entre pescadores de lá e os brasileiros.

No final da manhã da quinta-feira, dia 22 de Novembro de 2018, o navio atuneiro chinês chamado “Chang Rong 4” atingiu de propósito o navio potiguar “Oceano Pesca I”, a 676 quilômetros da costa brasileira, provocando um rombo no casco.

O navio “Chang Rong 4”, que atingiu o navio potiguar. Foto: shipspotting.com

“Por rádio, o comandante chinês disse, em português, que iria mandar o navio brasileiro ao fundo do mar. E começou a se aproximar muito rapidamente, até bater”, afirmou ao G1/RN Gabriel Calzavara, presidente do Sindpesca.

O dono da atuneiro, Everton Padilha, disse ao portal também que o barco potiguar só não naufragou graças a uma proteção do casco que também serve para manter os peixes frescos. “Abriu um buraco no casco. Como depois da chapa de aço tem essa camada de poliuretano, ela impediu que a água invadisse o interior do navio. O navio potiguar resistiu porque é novo e feito de aço. Senão, teria afundado, a tripulação estaria morta agora e ninguém jamais saberia o que havia acontecido”, acrescentou.

O mapa mostra a última localização do barco chinês após a colisão

Padilha disse ainda que a tripulação saiu ilesa e que o navio já está retornando para Natal, devendo chegar na manhã do sábado (24). “Deveríamos passar 25 dias em alto-mar pescando atum. Agora, com o que aconteceu, estamos voltando com prejuízo”, ressaltou.

Esta guerra por atum é desconhecida de muita gente, mas é real e parece bem perigosa. “É preciso que o governo brasileiro tome providências antes que o pior aconteça”, alertou Calzavara.

“Oceano Pesca I” barco atingido pelo barco chinês. Foto: G1/RN.

O vídeo que mostra o estrago

Um vídeo feito por um tripulante mostra os estragos causados pela embarcação chinesa. No vídeo, um homem não identificado explica que, além do casco furado e deformado, parte do topo do navio também foi atingido no incidente que por muito pouco não custou suas vidas:

Com informações do G1/RN e Op09

Anúncios

Escrito por Henrique Araujo

O criador do Curiozzzo é Bacharel em Sistemas de Informação, viciado em internet desde muito cedo, e encontrou na criação de conteúdo uma nova paixão. Criou o blog em 2014 para levar o Rio Grande do Norte (onde vive desde criança) para o mundo de uma forma criativa e diferenciada. Siga-o: instagram.com/henrique.e.araujo

Diga o que achou:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s