Os 5 fotógrafos mais antigos do Rio Grande do Norte

Depois de uma intensa pesquisa trazemos pra você hoje uma lista exclusiva dos 5 primeiros fotógrafos de toda a história potiguar e um pouco de cada um deles.

1º Manoel Dantas

Área da Santa Cruz da Bica, Natal/RN,  no início do século XX

O seridoense Manoel Dantas, que viveu até 1924, foi um historiador, geógrafo, advogado, jurista, pedagogo, orador, político e jornalista, que imaginou e contou a cidade de Natal em múltiplas narrativas.

Manoel se formou em Recife em 1890, período de transição da Monarquia para a República, local que formava a elite intelectual do nordeste.

Ele foi o primeiro fotógrafo genuinamente potiguar a registrar os aspectos urbanos de Natal no início do século retrasado.

2º José Ezelino da Costa

José Ezelino da Costa foi o primeiro fotógrafo negro do sertão do Rio Grande do Norte, como já falamos aqui. Era um homem de origem humilde que viveu entre 1889 e 1952. Ezelino nasceu no sítio Umbuzeiro, sertão do Rio Grande do Norte, nos arredores da cidade de Caicó.

Sua primeira câmera foi um presente de um vizinho e apartir daí desenvolveu técnicas peculiares de fotografia. Ele retratava os membros da família, quando não era comum encontrar imagens de negros que não estivessem em trabalhos subalternos.

Ele não deixou acervo. Algumas pessoas até tem fotografias impressas, mas uma das principais fontes de informação sobre ele é uma sobrinha-neta de José Ezelino, Ana Zélia Maria Moreira, neta de Mathilde Maria da Conceição, que era irmã do fotógrafo.

3º Valdemir Germano

O retratista Valdemir Germano, também foi outro fotógrafo que começou durante a Segunda Guerra em Natal, tendo trabalho nela. Ele manteve um estúdio e laboratório fotográfico no Grande Ponto natalense por mais de 60 anos.

Seu Valdemir fotografou personalidades como Newton Navarro e o próprio Câmara Cascudo, aposentando sua objetiva aposentada .

Ele morreu aos 89 anos deixando esposa e filhos.

4º Luiz Grevy Silva

Fotografias de Luiz Grevy

O pernambucano Luiz Grevy da Silva também registrou pessoas e lugares de Natal entre 1944 e início dos anos 1980.

Falecido há quase 20 anos, seu acervo foi totalmente perdido por falta de um acondicionamento adequado. “Sobrou só as fotos da família, o resto foi todo perdido: negativos e cópias em papel. Não ficou nada!”, disse Marconi Grevy, filho do fotógrafo.

5º Jaeci Emerenciano Galvão

Jaecy Emerenciano

Jaeci nasceu em Natal e narrou a história da cidade através de fotografias. Seus primeiros registros foram feitos no período da 2ª Guerra Mundial, quando Natal recebeu uma enorme base militar americana (Parnamirim Field). Em 1948, inaugurou o primeiro estúdio, no Alecrim, com a marca “Foto Jaeci”. A assinatura marca imagens da capital potiguar desde a época em que tinha apenas 50 mil habitantes.

Seu acervo possui fotos de praias urbanas, prédios, acontecimentos sociais e políticos e retratos de famílias. Em 2012, Jaeci Emereciano lançou uma coleção de CDs com uma seleção de 200 imagens intitulada “Natal de ontem” e “Natal de hoje”.

Jaeci morreu de AVC aos 87 anos, possuindo o maior acervo de imagens da capital potiguar.

Se gostou não deixe de ver também: 7 lindas “fotos-comparações” de Natal-RN pelo mesmo ângulo [INÉDITO]

Fonte: Agência Fotec – Ensino Fotec UFRN, Substantivo Plural, Tribuna do Norte.

🔥557 Visualizações

Henrique Araujo

O criador do Curiozzzo é formado em Sistemas de Informação, já foi dono de startups, administrador de grupos, empresário, mas sempre foi um amante da internet, primeiro como desenvolvedor e depois como produtor de conteúdo, desde a chegada dela no Brasil. Em 2014 criou o blog e encontrou na história e na cultura de onde mora uma nova paixão. Hoje ele leva o Rio Grande do Norte para o mundo de forma respeitosa, criativa, curiosa e única. Siga-o: instagram.com/henrique.e.araujo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *