Muito prazer, eu sou a primeira locomotiva a atravessar a “Ponte de Igapó” em Natal-RN

A famosa “Ponte de Igapó”, ou “Ponte de Ferro”, ou “Ponte dos Ingleses”, como você preferir chamar, foi erguida em na pequena Natal-RN de 1912, numa época em que a cidade nem energia elétrica tinha direito, e foi um grande marco para a cidade porque foi a responsável pela comunicação, ampliação e escoamento do comércio na cidade.

Ponte de Igapó antigamente. Foto: Jaeci Galvão

Depois de décadas servindo à cidade, primeiro só com passagem de trens, depois com a passagem mista de veículos e trens, ela foi parcialmente desmontada e suas partes foram vendidas para uma empresa de sucata de Pernambuco. O que sobrou dela infelizmente está abandonado, e ao lado foi inaugurada em 1970 uma ponte para carros em funcionamento até hoje.

Mas você sabe qual foi a primeira locomotiva a atravessar a ponte em toda a história?

Catita Nº 3. Foto: https://fatosefotosdenatalantiga.com/1219-2/

Sim, essa aí da foto. Essa pequena locomotiva foi fabricada na Inglaterra em 1902, e recebeu o nome de Catita nº 3. Ela entrou para a história do Rio Grande do Norte ao fazer a travessia inaugural da antiga Ponte sobre o Potengi no dia 20 de abril de 1916.

Isso mesmo! Mas quem viajava nela não podia ter pressa de chegar. Ela andava na forma “devagar e sempre”, isto é, a uma velocidade muito pequena, numa média de 15 km por hora. Catita nº 3 foi aposentada em 1975 quando seguiu para Pernambuco onde passou 39 anos no museu do trem em Recife, porém sem receber os devidos cuidados.

A máquina retornou ao Rio Grande do Norte em 2014 após uma peleja jurídica de onze anos pelo IAPHACC (Instituto dos Amigos do Patrimônio Histórico e Artístico Cultural e da Cidadania). Mas, felizmente, hoje ela está no lugar certo: sendo atração principal do Museu do Trem de Natal.

A locomotiva hoje no Museu do Trem de Natal. Foto: Tribuna do Norte.

Antes de falar mais sobre a locomotiva é importante dizer que a ideia do “Museu do Trem de Natal” surgiu de Ricardo Tersuliano, presidente da IAPHACC, quando ele pesquisava sobre a história da ponte de ferro de Igapó em 2003, acabando por descobrir a locomotiva Catita Nº 3.

“Ela estava em Recife, e tomamos a missão de devolvê-la para o RN. Comecei a entrevistar velhos ferroviários e no processo vi que tínhamos um acervo que merecia ser recolhido, guardado e exibido. E assim surgiu a ideia do Museu do Trem”, disse Ricardo ao jornal Tribuna do Norte. O museu hoje se chama ‘Museu do Trem Manoel Tomé de Souza’, e funciona no prédio da antiga estação de trens, no bairro das Rocas, local onde as 26 locomotivas que circulavam no Estado recebiam manutenção.

E sabe quem foi na primeira viagem?

Na inauguração Ponte de Igapó, em 1916, a “Catita Nº 3” carregou personalidades potiguares famosas como o então governador Joaquim Ferreira Chavez, o médico Januário Cicco, o escritor Henrique Castriciano, o advogado caicoense José Augusto, e ainda: Juvenal Lamartine, ex governador do RN que instituiu o voto feminino no estado, o historiador e folclorista Luís da Câmara Cascudo (ainda criança) acompanhado do seu pai, o jornalista Elói de Souza, entre outros nomes da história do Rio Grande do Norte.

Quer dar uma passada nesse importante museu natalense quando a pandemia passar? O Museu do Trem Manoel Tomé de Souza fica no campus do IFRN, Unidade Rocas. Consulte horários de visitações pelo telefone 4005-0967.

Vi no Fatos e Fotos de Natal Antiga. Fontes: “Pelos Trilhos do Passado” (Tribuna do Norte), No Minuto e Blog Patrulha Rocas.

🔥223 Visualizações

Henrique Araujo

O criador do Curiozzzo é formado em Sistemas de Informação, já foi dono de startups, administrador de grupos, empresário, mas sempre foi um amante da internet, primeiro como desenvolvedor e depois como produtor de conteúdo, desde a chegada dela no Brasil. Em 2014 criou o blog e encontrou na história e na cultura de onde mora uma nova paixão. Hoje ele leva o Rio Grande do Norte para o mundo de forma respeitosa, criativa, curiosa e única. Siga-o: instagram.com/henrique.e.araujo

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *