9 coisas sobre os telefones que você viveu em Natal (RN) nos anos 90

Quem já morou em Natal nos anos 90 com certeza vai lembrar!

Pra começar até o final dos anos 90 existiu a TELERN

A “Telecomunicações do Rio Grande do Norte S.A”, que foi a única operadora pública de telefonia fixa no Rio Grande do Norte até 1998, quando foi privatizada e suas operações foram absorvidas pela Telemar, atual Oi. E era caríssimo ter uma linha nessa época.

Então chegou a TELEMAR

Que botou orelhões a cartão nas ruas e facilitou a obtenção de telefones fixos por um menor valor para a cidade inteira; e você adorava ter um fixo em casa.

E você que já curtia tentar colecionar uns cartões de orelhão, se empolgou ainda mais com esses:

Tinha imagens interessantes e você até colecionou alguns, além de usá-los bastante claro.

Cartões esses que, assim como as fichas, eram cheios de lendas

Por exemplo, a lenda (ou verdade?) de que você pagaria apenas 1 pulso, e podia falar eternamente de graça se, assim que a pessoa do outro lado atendesse, você retirasse rapidamente o cartão apertando o “0”.

Porém mais empolgante ainda era ligar para o “145”

Que era uma espécie de “Bate-papo da UOL” dos telefones. A operadora disponibilizava nesse número um serviço de linha cruzada separado por “salas” ou canais, nos quais você passava horas conversando com gente desconhecida, podendo mudar de “sala” sob vigilância de um(a) “monitor(a)” que podia até kická-lo para outra sala.

Muita gente acreditou que aquele serviço era gratuito, mas na realidade não era e deu até umas broncas.

Até que aquele seu tio ou primo “rico” apareceu com esta belezinha aqui:

Um Motorola PT 550! E você não dormiu mais.

Seguido, claro, de “uma centena” de outros aparelhos, como estes

Que você só pensava em ter um melhor com o passar dos meses do ano. Quais deles você já possuiu?

E você só tinha duas operadoras para escolher: TIM (banda A) e BCP (banda B)

A operadora BCP, que começou em 98 e operava na chamada “banda B”, deu a muitos jovens a possibilidade de realizar o sonho de ter um celular. Maioria pré pago. Pós pago era raridade.

Mais tarde a BCP se fundiu com a Claro.

Aí chegaram coisas como o “Blah!” e você nunca mais largou o celular

Se o 145 era uma espécie de bate papo UOL, esse serviço era como uma versão pioneira e grosseira de WhatsApp lançada pela operadora TIM. Nele, você falava com qualquer número da operadora via comandos específicos SMS sem pagar nada, fazendo você entrar pela madrugada falando com o(a) “crush”.

Mais tarde o Blah! virou um aplicativo robusto voltado para o público jovem, integrado com as redes socais, e que unia bate-papo, chamadas, mídias, horóscopo, e etc.

🔥650 Visualizações

Henrique Araujo

O criador do Curiozzzo é formado em Sistemas de Informação, já foi dono de startups, administrador de grupos, empresário, mas sempre foi um amante da internet, primeiro como desenvolvedor e depois como produtor de conteúdo, desde a chegada dela no Brasil. Em 2014 criou o blog e encontrou na história e na cultura de onde mora uma nova paixão. Hoje ele leva o Rio Grande do Norte para o mundo de forma respeitosa, criativa, curiosa e única. Siga-o: instagram.com/henrique.e.araujo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *