Pesquisador de Natal descobre “o segredo” das resistentes fundações da Ponte de Igapó

Depois daquele documento que revela 10 curiosidades INÉDITAS sobre a Ponte de Igapó em Natal , que publicamos aqui no Curiozzzo.com, surgem novos detalhes inéditos da construção desse importante patrimônio brasileiro da engenharia!

Imagem do vídeo “Memória ferroviária do RN. A ponte de Igapó” enviado por João Sêneca ao Youtube em 21 de dezembro de 2016: https://www.youtube.com/watch?v=1PuGYZ89hhw

A Ponte de Igapó foi erguida em Natal-RN em 1912, numa época em que a cidade nem energia elétrica tinha, e foi um grande marco para a cidade porque foi a responsável pela comunicação, ampliação e escoamento do comércio na cidade.

Só que durante décadas ela “guardou um segredo”. Pra quem não sabe, ela foi construída sobre fundações extremamente fortes, que resistem ao tempo praticamente intactas há vários anos, pilares perfeitamente alinhados e nivelados, mas nunca se soube como exatamente, nem ao certo o material que permitia tudo isso.

Ponte de Igapó, Natal, no século XX

O programa “Nos Trilhos” da TV Ponta Negra (afiliada da SBT) conversou com o engenheiro, professor e pesquisador Manoel Negreiros, que virou especialista na Ponte há mais de 20 anos, e ele revelou detalhes da construção da famosas fundações da obra, confira:

Que bacana hein? Eu nunca imaginei que ela tinha sido construída assim! Parabéns ao professor Manoel – e a TV Ponta Negra pela matéria. Aguardo o seu livro!

Se gostou mande aí pra os amigos que vão gostar também!

🔥741 Visualizações

Henrique Araujo

O criador do Curiozzzo é formado em Sistemas de Informação, já foi dono de startups, administrador de grupos, empresário, mas sempre foi um amante da internet, primeiro como desenvolvedor e depois como produtor de conteúdo, desde a chegada dela no Brasil. Em 2014 criou o blog e encontrou na história e na cultura de onde mora uma nova paixão. Hoje ele leva o Rio Grande do Norte para o mundo de forma respeitosa, criativa, curiosa e única. Siga-o: instagram.com/henrique.e.araujo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *